Comida e disciplina não se misturam!

comida e disciplina_logo

Comida e disciplina não se misturam!

Atire a primeira pedra quem nunca usou comida para convencer os filhos à alguma coisa! Fato é: comida não é ferramenta de negociação ou moeda de troca. E quando você faz uso desse artifício está prejudicando seu filho mais do que imagina.

Seu filho está dando o maior escândalo no supermercado. Ou não quer comer os legumes. Ou não quer comer nada. Ou se recusa a calçar o sapato quando já está todo mundo atrasado. Por aqui isso acontece sempre e eu tenho certeza que você reconhece essas situações e também o nosso desespero em acabar com elas de imediato!
O jeito mais rápido e eficaz de acabar com o problema?
“Se você parar de chorar e colocar o sapato agora eu te dou um chocolate no carro!” “Se você limpar o prato tem sorvete!” “Se você sentar quietinho no carrinho mamãe deixa você comprar o salgadinho!”

E assim, como que num passe de mágica, o silêncio reina e tudo volta ao normal.

Ser mãe – e pai – não é moleza e a gente sabe disso. Tem dias que são puro stress do começo ao fim e você vai sim, usar de artifícios para ‘sobreviver’.
Usar desses artifícios uma vez ou outra não vai trazer grandes prejuízos, o problema é quando isso se torna uma constante.

O truque pode ter funcionado no curto prazo, mas no longo prazo, quando usamos comida para disciplinar, distrair, recompensar ou subornar nosso filhos, estamos interferindo não só na saúde imediata deles como também na relação que terão com a comida ao longo da vida.
As crianças podem desenvolver uma associação negativa entre a comida e uma experiência em particular e quando isso acontece, aumentam as chances de recusa, ou até vício, dos alimentos associados com a experiência.

Sem falar no fato de que vão associar determinados comportamentos com recompensa. Como por exemplo quando se comportaram direitinho e ganham um pirulito por isso, como se o ‘comportar-se’ não fosse o comportamento normal esperado. Já imaginou esse tipo de expectativa sendo utilizada na adolescência? Ou na vida adulta?

Outra questão séria é que, oferecendo uma distração dos fatos, você está impedindo seus filhos de lidarem com os próprios sentimentos e isso traz consequências ainda mais desastrosas no longo prazo. Incentiva a criança a recorrer à comida como um mecanismo de defesa e, conforme ela cresce, em vez de enfrentar os problemas de uma forma saudável, irá associar a comida com o ‘sentir melhor’ e recorrer à ela para encontrar conforto ou para se distrair dos problemas. Essas associações, umas vez criadas, são duradouras e podem ser difíceis de serem quebradas.

Em vez de usar de artifícios, tente conversar. Se eles não estiverem em condições de ouvir, deixe que chorem, que esperneiem e que lidem com o que estão sentindo. Se você estiver em casa, saia de perto (vai aliviar o seu stress, eu garanto!). Se estiver em algum lugar público, tente ir para um lugar mais tranquilo ou deixe que chorem afinal, ninguém tem nada a ver com a sua vida!

 

 

 

Photo: crysb (Flickr)

 

 

No Comments

Post A Comment