Uma equação complexa

barbie-1494243-1280x960

Uma equação complexa

O post de hoje é um pouco diferente. É sim sobre alimentação, mas sob outro ponto de vista. É quase um desabafo e é para todas as mães que estiverem lendo e que talvez se identifiquem com o assunto: peso, imagem corporal e saúde.

Hoje pela manhã, dando uma olhada no meu news feed no Facebook me deparei com um post de um grupo que eu fui recentemente adicionada (é um grupo só para mulheres!) e que realmente me fez pensar. Era um post todo empolgado contando sobre o começo de uma dieta ‘X famosa’ e perguntando algo sobre ‘o peso ideal recomendado ser maior do que o que ela esperava’, e se as outras achavam isso certo ou errado.

Enfim… Nem sei por onde começar a contar tudo o que passou pela minha cabeça e se eu fosse colocar tudo aqui ia faltar espaço!

Aí parei e pensei: o que ela espera ouvir? Ela espera afirmação e suporte positivo e motivacional para a sua decisão de fazer dieta? Ou espera que alguém venha jogar um balde de água fria na sua empolgação dizendo que ela provavelmente não deveria seguir a tal dieta, que ela está colocando em risco a sua saúde, que ela pode até perder peso mas que ele vai voltar quando ela voltar para os seus hábitos alimentares ‘normais’?

E aí me calei. Apaguei o que estava escrevendo e fui lá cozinhar o brócolis do almoço.

Mas o assunto continuou na minha cabeça!

Fiquei com vontade de perguntar se ela tinha filhas… e se ela já tinha pensado sobre como esse comportamento, mesmo sem perceber, estaria afetando a relação que elas terão com o corpo e com a aparência.

Quem me acompanha aqui no blog – ou já leu a página ‘sobre’ – sabe que um dos grandes motivadores que me fez embarcar nessa jornada de aprendizado sobre nutrição foi o fato de que eu não quero que minha filha cresça com neuras em relação ao corpo. Eu tive, ao longo dos meus quase 44 anos, muitos momentos em que minha relação com o meu corpo não era nada saudável. Posso dizer que nós estávamos constantemente em pé de guerra!

Por muito tempo fui daquelas pessoas que corre para experimentar a nova dieta da moda (vai que dessa vez funciona!) e hoje me arrependo profundamente de como tratei meu corpo. De como o agredi e afetei o funcionamento do meu metabolismo. E posso dizer que meu ‘motivador’ nesse caso foi a IGNORÂNCIA: o fato de não saber e não entender de verdade as consequências das minhas ações. E eu não queria ser esse tipo de referência para minha filha.

Hoje posso dizer que estou no caminho certo. Lógico que ainda falta muito e, sim, tenho aqueles dias que nenhuma roupa fica boa (quem não tem??), mas tenho uma relação mais saudável comigo mesma.

E a chave é simples: VONTADE e INFORMAÇÃO. Encontre o seu real motivador e busque informar-se e aprender.

Nessa jornada maluca que é ser mãe, muitas vezes nos colocamos em segundo plano. Mas essa pode não ser a melhor decisão, especialmente se você não está feliz com você mesma e com o seu corpo. (Já percebeu que, no avião, em caso de acidente, eles pedem pra você colocar a máscara primeiro em você?).

Se você nunca tinha pensado sobre o impacto que os seus hábitos podem ter nos seus filhos, por favor pense. Já basta a sociedade – e a Barbie -, nos impondo modelos perfeitos e neuras desnecessárias! Dentro da sua casa e pela saúde da sua família, você faz as regras 🙂

 

 

Ps 1: já ouviu aquele ditado ‘a ignorância é uma benção’? Pois é…. esqueça! É a pior referência possível! A ignorância é uma das grandes responsáveis pelos seus problemas.

No Comments

Post A Comment